Tire suas dúvidas sobre as vacinas


Por que se vacinar?

As vacinas são o melhor método na prevenção de doenças. Elas têm como objetivo acionar o sistema imunológico do organismo para a produção de anticorpos sem que com isso a pessoa adoeça. Esses anticorpos permanecem no organismo e evitam que em contato com o vírus no futuro a doença se manifeste.

O esforço na vacinação da população do mundo todo colaborou para a redução e inclusive a erradicação de doenças em algumas partes do globo. O Brasil alcançou a erradicação da poliomielite e da varíola, e a eliminação da circulação do vírus autóctone do sarampo desde 2000 e da rubéola desde 2009.

Além da imunização infantil, adultos e idosos também devem estar atentos ao calendário de vacinação proposto pelo Ministério da Saúde e, inclusive, precisam atentar-se àquelas que necessitam de reforço após alguns anos.

 

Contraindicações e precauções

As primeiras imunizações foram descobertas há mais de duzentos anos. Atualmente, técnicas modernas são utilizadas para preparar as vacinas em laboratórios. Elas podem ser produzidas a partir de organismos enfraquecidos, mortos ou alguns de seus derivados, e todas são extremamente seguras.

Algumas pessoas, porém, devem atentar-se para alguns fatores, situações e condições antes de vacinar-se. A maioria das precauções são temporárias, e a vacinação deve apenas ser adiada. Nesses casos é importante uma avaliação médica prévia.

Uma contraindicação aplicável a qualquer vacina é alergia a qualquer componente. Alguns fabricantes de vacinas usam gelatina e proteína do ovo, por exemplo. Outros podem conter látex, seja no frasco, seja na seringa.

No entanto, mesmo em casos de alergia muitas vezes a administração é permitida. Por isso é importante a consulta prévia com um especialista.

Outro ponto de atenção são grupos de risco, como as grávidas e as pessoas com sistema imunológico enfraquecido, para os quais não se recomenda a aplicação de vacinas feitas com agentes virais vivos.

Reações adversas

Todas as vacinas licenciadas atualmente são seguras e eficazes, no entanto, eventualmente podem provocar alguma reação, em sua maioria de leve intensidade e sem gerar incômodo, como: inflamação no local da aplicação, vermelhidão, febre e mal-estar.

Mitos sobre as vacinas

• MITO 1: Vacinas causam autismo
Não há nenhuma evidência científica quanto a essa questão. Há alguns anos foi realizado um estudo que mostrava essa relação, porém, constatou-se falho e o autor foi banido da medicina.

• MITO 2: É melhor ser imunizado por meio da doença do que pela vacina
A resposta imunológica à vacina é semelhante à produzida pela infecção natural, porém, as vacinas não causam a doença e não expõe o paciente aos riscos da decorrência da doença.

• MITO 3: Aplicar mais de uma vacina ao mesmo tempo em uma pessoa pode aumentar o risco de eventos adversos prejudiciais por sobrecarregar o sistema imunológico
Estudos científicos demostram que essa situação não ocorre. Diariamente todos estão expostos a substâncias que exigem respostas imunológicas do organismo para sua proteção. Prova disso é a existência de diversas vacinas combinadas, como a treta viral.

• MITO 4: As doenças evitáveis por vacinas estão quase erradicadas do país, por isso não há razão para me vacinar.
Mesmo em casos de incidência baixa ou nula, os agentes infecciosos continuam a circular, especialmente em um mundo interligado que facilita o trânsito dos mesmos.
Por isso é fundamental seguir o calendário de vacinação.

• MITO 5: A vacinação combinada de “difteria, tétano e coqueluche” e de “hepatite” causa Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSI).
Não há nenhuma relação entre a administração de vacinas e a SMSI. O que gera o mito é que a fase em que os bebês devem tomar a vacina coincide com o período de risco para a SMSI. A administração dessas vacinas é muito importante.

• MITO 6: As vacinas têm vários efeitos colaterais e de longo prazo que são desconhecidos, podendo ser fatal.
As vacinas são seguras e são a melhor forma de prevenção contra doenças graves e muitas vezes contagiosas.

• MITO 7: Uma melhor higiene e saneamento farão as doenças desaparecerem e vacinas não serão mais necessárias.

Muitas doenças podem ser evitadas com higiene, mas muitas doenças que são prevenidas por vacinas podem se espalhar independentemente de outras medidas.

A vacinação é muito importante, caso não seja realizada, doenças já erradicadas podem voltar. A imunização contribui para a qualidade de vida das pessoas e para a manutenção da saúde.

Centro de vacinas do Hospital Leforte

O Hospital Leforte conta com um Centro de Vacinas, local preparado para administrar todas as vacinas do calendário definido pelo Ministério da Saúde, além de oferecer imunização contra vírus específicos.

O serviço também conta com profissionais preparados para atender pacientes alérgicos a certos tipos de vacina.

Consulte doses disponíveis e agende seu horário pelo telefone 3345-2288


        

Search

+