Sintomas físicos da ansiedade


Pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou que o Brasil é o país mais ansioso da América Latina, com 9,3% da população nesta condição. Dentro deste quadro, há distúrbios como ataques de pânico, transtorno obsessivo compulsivo, fobia e estresse pós-traumático.

O estudo também revelou que o sexo feminino é quem mais sente as consequências – 7,7% das mulheres são ansiosas e 5,1% são depressivas; enquanto que os homens somam apenas 3,6% em ambos os casos.
 

Mas afinal, quando a ansiedade é considerada normal?

A ansiedade é considerada normal quando o medo, dúvida ou expectativa antecede uma entrevista de emprego, um evento importante, o nascimento de um filho, uma cirurgia delicada ou algum outro acontecimento pontual.

Quando a preocupação ou expectativa for excessiva, causando fadiga, irritabilidade, inquietação ou dificuldade de concentração, é preciso procurar orientação médica já que o corpo começa a sentir as consequências.

De acordo com o Manual de Classificação de Doenças Mentais (DSM.IV), o transtorno de ansiedade generalizada é caracterizado por nervosismo ou preocupação intensa, que afeta as atividades diárias. Pode ocorrer em todas as idades, mas as mulheres são mais vulneráveis à condição. 
 

O que acontece com o meu corpo quando eu fico ansioso?

– Os músculos do corpo ficam rígidos;
– O baço descarrega mais glóbulos vermelhos e brancos para distribuir mais oxigênio no corpo;
– Quando estamos estressados, o fluxo sanguíneo aumenta e o sangue é redistribuído pelo corpo. Com isso, surgem alterações na pele como palidez e alergias;
– Quando você está ansioso, os fluídos se espalham por diferentes partes do corpo, causando problemas de garganta.
 

Problemas a longo prazo

É preciso ficar atento às crises de ansiedade frequentes. Se a ansiedade não for tratada corretamente, outros problemas de saúde podem surgir, como sistema imunológico enfraquecido, úlceras, problemas cardiovasculares ou de digestão, mudanças metabólicas e dificuldades para dormir.

Como tratar?

Se você apresenta um ou mais sintomas descritos acima, procure a orientação de um profissional. Cada pessoa desenvolve a ansiedade de um jeito diferente, por isso é importante a opinião de um especialista para avaliar cada caso e indicar o melhor tratamento.

 


 

Leia mais:

Dr. Tércio Genzini fala sobre a incidência e os fatores de risco do Câncer de Pâncreas

Saúde do coração da mulher

A importância do coração no tratamento do câncer

Search

+