Semana das crianças: Arthur e Heitor, os supergêmeos


Karine Gois teve uma gravidez complicada. Com 4 meses, precisou se afastar do trabalho, pelo risco que ela e os bebês corriam. Na 28ª semana de gestação, Arthur e Heitor nasceram e deram um baita susto nos pais, pois apresentaram um problema no coração. Foram dois meses de internação até se fortalecerem, ganharem peso e receberem alta, em maio.

No entanto, o inverno chegou muito rigoroso para os gêmeos e eles precisaram voltar para o hospital. Os pais optaram pelo PS Infantil do Leforte Morumbi. Lá, os pediatras decidiram interná-los, para acompanharem a evolução dos quadros de saúde, e ambos pioraram. Primeiro foi o Arthur. Horas depois, o Heitor também teve de ser levado para a UTI Pediátrica.

“Tudo o que um sentia, o outro tinha igual em questão de poucas horas. Esperávamos um progresso no estado de saúde deles, depois do período de febre mais alta da bronquiolite, mas não melhoravam. Pelo contrário. Foi então que o Arthur começou a ter uma piora significativa… logo depois, foi o irmão”, conta Karine.

Mas dessa vez, a piora do Heitor foi grave e ele teve parada cardíaca. “O chão sumiu quando notamos a movimentação na UTI. Tínhamos apenas que confiar na equipe médica”, diz a mãe.

 

 

Os pediatras transferiram os meninos do CPAP (aparelho que ajuda na respiração) para o Ventilador de Alta Frequência (VAF), um aparelho mais potente, utilizado em quadros muito delicados de saúde. Arthur e Heitor precisaram também de diálise, pois ficaram inchados. Nessa hora, os pais quase entraram em desespero. “Estávamos exausto com tudo, aflitos com o sofrimento dos nossos filhos… mas procurei manter a fé. Uma mãe nunca perde a esperança.”

E depois de 4 dias no aparelho, como se tivessem combinado, Arthur e Heitor começaram a melhorar. Surpreenderam a todos. “Minha gratidão pela equipe da Pediatria do Leforte será eterna. Por causa da dedicação desses profissionais tenho meus filhos comigo.”

Foram 25 dias na UTI, e em 27 de agosto, os irmãos receberam alta. Arthur e Heitor seguem tomando medicamentos e sendo assistidos pela equipe do Leforte, mas já ganharam peso, estão fortes, cresceram alguns centímetros, estão bem espertos… e continuam sempre juntos.

 

 

 

Leia mais:

O que colocar na lancheira das crianças?

Saúde do coração da mulher

Hipertensão arterial

Search

+