Semana da enfermagem

Semana da enfermagem: a atuação dos profissionais de enfermagem do Grupo Leforte no combate à Covid-19

20 maio 2020 Coronavírus

No mês de maio é comemorada a Semana da Enfermagem, que além de ser a maior categoria profissional de saúde, está na linha de frente nos cuidados aos pacientes. Nos últimos quase dois meses de pandemia de Coronavírus, os profissionais de enfermagem atuaram no planejamento de contingência, detecção e avaliação dos casos da Covid-19, além do cuidado aos pacientes e familiares. Saiba mais sobre o papel da enfermagem nas unidades hospitalares do Grupo Leforte nesse período.

 

Planejamento em equipe desde o início da pandemia de Coronavírus

No início da pandemia, foi feito um plano de contingência, considerando os riscos e a segurança de todos os pacientes e colaboradores. Quem fez parte do planejamento foram os gestores de cada área médica, time de operações e profissionais de enfermagem.

Andréia Santana, Superintendente de Práticas Assistenciais

Andréia Santana, Superintendente de Práticas Assistenciais.

A Superintendente de Práticas Assistenciais do Grupo Leforte, Andréia Santana, conta que esse gerenciamento foi dividido em quatro frentes, cada uma com seus planos de ação:

Gestão de Práticas Assistenciais e Segurança – treinamento para o uso adequado de equipamentos de proteção individual (EPIs), como se paramentar e desparamentar, medidas de segurança ao tratar do paciente. Os colaboradores receberam por canal interno e via WhatsApp materiais e vídeos educativos sobre os temas.

Comunicação – criação de templates e material visual de sinalização para o público geral nos hospitais. Também é a frente responsável pelo panorama de número de casos e estado de saúde dos pacientes, incluindo a informação junto aos familiares.

Gestão de Suprimentos, Insumos, Equipamentos e Mobiliários – acompanhamento da taxa de ocupação de leitos, necessidade de expansão e de obtenção de suprimentos e materiais.

Gestão de pessoas – assegura a suficiência de reposição e contratação de força de trabalho adequada para conter a crise do Coronavírus em segurança.

A Unidade Hospital Leforte Liberdade foi a escolhida para concentrar os pacientes infectados e suspeitos. “Nós definimos a Liberdade por estar localizada em uma região central e ter maior capacidade de expansão em um momento de pico da doença, que é o que estamos vivendo hoje”, justifica Andréia.

A unidade tem uma UTI específica para os pacientes infectados, além de uma semi-intensiva, que foi adaptada para funcionar como UTI. A área de internação comum conta com quatro andares de leitos.

Ana Balbo, gerente assistencial da Unidade Hospital Leforte Liberdade, explica como é mantida a segurança do local: “montamos um fluxo interno, tanto no Pronto- Socorro, quanto na internação, para que esses pacientes com Covid-19 ficassem segregados, garantindo a segurança tanto deles, quanto dos demais pacientes”.

Proteção além de EPIs – apoio emocional é essencial para trabalho de colaboradores

O pré-requisito para a segurança física de todos os colaboradores é o uso correto dos equipamentos de proteção individual (EPIs), assegurados por todas as Unidades do Grupo Leforte, mas o diferencial é o apoio emocional e o tratamento humanizado dado a todos profissionais, que acabam refletindo no trabalho final. “Fizemos todo um suporte com os nossos psicólogos hospitalares, que deram todo o suporte tanto aos nossos pacientes quanto aos nossos colaboradores neste momento”, afirma Ana Balbo.

Ana Balbo, Gerente de enfermagem do Hospital Leforte Liberdade.

Ana Balbo, Gerente de enfermagem do Hospital Leforte Liberdade.

Arlene Miranda, gerente de enfermagem do Hospital e Maternidade Christóvão da Gama, conta que em sua equipe diversos colaboradores estão há tempos longe de seus filhos e familiares, devido ao trabalho na linha de frente de combate à Covid-19, mas seguem motivados graças a esse suporte citado por Ana Balbo.

“Eles [colaboradores] vibram com cada recuperação, que simbolizam uma vitória frente a esse inimigo invisível. A instituição e os gestores têm um papel muito importante, que vai além de oferecer EPIs adequados, mas também em propiciar um ambiente de trabalho acolhedor e humanizado, capaz de compreender as fragilidades particulares da sua equipe e dar o apoio necessário”, complementa Arlene Miranda.

Arlene Miranda, Gerente de enfermagem do Hospital e Maternidade Christóvão da Gama.

Arlene Miranda, Gerente de enfermagem do Hospital e Maternidade Christóvão da Gama.

Como a população pode ajudar os profissionais de enfermagem

Para a gerente de enfermagem da Unidade Hospital Leforte Morumbi, Katia Anjos, a população pode ajudar não só os profissionais de enfermagem, mas todo o sistema de saúde, mesmo que indiretamente. “Respeitando o isolamento social, utilizando máscaras… entendemos a situação econômica e falta de vida social, o momento é delicado, porém é necessário para que possamos vencer a Covid-19”, alerta.

Kátia Anjos, Gerente de enfermagem do Hospital Leforte Morumbi

Kátia Anjos, Gerente de enfermagem do Hospital Leforte Morumbi.

Arlene reforça a importância do isolamento social e do cuidado com a higiene para evitar a exposição ao Coronavírus. Ela também chama a atenção para os perigos da automedicação e de receitas milagrosas, publicadas em fake news. “Elas [substâncias] representam um grande risco se utilizadas de forma inadequada”, afirma.

Em homenagem à Semana da Enfermagem, Ana Balbo, deixa uma mensagem a toda a sua equipe e colegas de profissão: “vocês são a prova que o sucesso se alcança através de talento, determinação e trabalho duro. Cada um de vocês contribuem para o bom funcionamento do time, permitindo assim que os projetos sejam realizados. Todos estão de parabéns pelo trabalho e espírito de união que existe na equipe”.

 

Agende uma consulta com nossa equipe de especialistas

Veja o funcionamento das Unidades Hospitais Leforte durante a pandemia de Coronavírus

Search

+