Saúde começa na infância

Saúde começa na infância – A primeira infância é decisiva para o crescimento saudável. Os cuidados devem contemplar todos os aspectos que envolvem a criança, assegurando seu desenvolvimento integral.

Criança precisa de condições adequadas para crescer saudável. Para que isso ocorra, é preciso que pais, responsáveis e educadores saibam perceber e lidar com os vários fatores que envolvem as fases do desenvolvimento. E são inúmeros aspectos, tanto aqueles genuínos da infância e adolescência, como ocorrências que podem prejudicar o amadurecimento cognitivo, psicomotor, emocional e fisiológico das crianças. Essas, aliás, devem ser tratadas.

Por isso, é fundamental o acompanhamento detalhado de cada fase da criança, principalmente nos primeiros anos de vida. E por duas razões primordiais: as experiências registradas até os 7 anos de idade terão influência por toda a vida, e a primeira infância é também um período de mais vulnerabilidade a muitas doenças.

Ou seja, a criança precisa de atenção, proteção e muito acolhimento. Esse cuidado minucioso faz toda a diferença e é o que o Grupo Leforte defende.

 

Equipe multi na Pediatria e Hebiatria

Entendemos que excelência na Pediatria e Hebiatria é resultado de uma combinação bastante efetiva: atendimento humanizado, estrutura, tecnologia e presença de equipe multidisciplinar – médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos etc.

Para nós, certamente é o modelo mais eficiente e completo para o pequeno paciente, pois oferece suporte de vários especialistas – um importante diferencial para o desenvolvimento saudável. E como regente desse grupo multi, está o médico pediatra, que possui percepção fundamental para conduzir a criança por esse caminho da atenção à saúde.

E assim, tudo se encaixa: cada profissional desempenha seu papel, de modo complementar, e em total sincronia com os demais especialista da equipe, pois trocam informações entre si para fechar diagnósticos com absoluta precisão. Esse modelo permite construir um histórico do paciente muito detalhado, porque tudo fica registrado no mesmo prontuário de saúde. E pra sempre, para que o cuidado com a saúde seja preservado.

É assim nosso olhar sobre o desenvolvimento do indivíduo: sistêmico e plural, desde as primeiras semanas de vida do bebê em diante. Um modelo que traz segurança e comodidade aos pais, e que garante aos filhos ambientes apropriados para crescerem e se tornarem adultos saudáveis.

É nessa Pediatria que acreditamos.

 

Conheça a Pediatria do Leforte.

 

Idade X fase

Lactente – de 0 a 2 anos

Pré-escolar – dos 2 aos 4 anos

Escolar – dos 5 aos 10 anos

Adolescente – dos 11 aos 19 anos

 

Fases da infância

Adolescência

As transformações agora são muito mais intensas, e em todos os aspectos. Nessa fase, a relação com os pais podem passar por altos e baixos, mas para o adolescente, o importante é enxergar na família um porto seguro. Ele precisa estar seguro de que será sempre acolhido.

 

Aspectos do desenvolvimento do adolescente

Intelectual e comportamental: Começam a desenvolver a capacidade de pensamento abstrato, lógico. Essa maior sofisticação resulta em melhor percepção do eu e na capacidade de refletir sobre a própria existência.

Também aplicam suas novas capacidades reflexivas a questões morais. Muitas vezes questionam os padrões de comportamento e podem rejeitar as tradições. Idealmente, essa reflexão culmina no desenvolvimento e interiorização do código moral do próprio adolescente.

Muitos adolescentes começam a se envolver em comportamentos de risco – esses comportamentos ocorrem em parte porque os adolescentes tendem a superestimar suas próprias habilidades como uma preparação para sair de casa. Estudos recentes do sistema nervoso também mostraram que as partes do encéfalo que suprimem os impulsos só estão totalmente amadurecidas no início da idade adulta.

Emocional: Aprendem gradualmente a suprimir pensamentos e ações inadequados e substituí-los por comportamentos orientados a objetivos.

Social e psicológico: A família é o centro da vida social para as crianças. Durante a adolescência, o grupo de colegas começa a substituir a família como o principal foco social.               

Sexualidade: Adaptação para as mudanças do corpo: o adolescente deve ficar confortável com o papel adulto de homem ou de mulher e com o estímulo sexual.

 

Prevenção: HPV e vacinas

As campanhas de vacinação contra o papiloma vírus humano voltadas para adolescentes ganharam força nos últimos anos. Isso porque o número de adolescentes e jovens contaminados pelo HPV aumentou sensivelmente, inclusive com muitas confirmações de câncer. Exemplos cada vez mais frequentes são jovens diagnosticados com câncer de colo do útero e câncer de cabeça e pescoço.

Por essa razão, a Ministério da Saúde baixou recomenda a vacinação contra HPV entre 9 e 14 anos para meninas e 11 e 14 anos para meninos.

Além disso, algumas vacinas também precisam de reforço na adolescência. Acesse aqui e veja quais são.

 

 

 

Search

+