Que tudo se realize no ano que vem

Que tudo se realize no ano que vem

Traçar metas realistas e ter claro que o imponderável existe ajuda a evitar frustrações

Atire a primeira pedra quem nunca fez uma série de promessas no réveillon. Promessas essas nem sempre cumpridas, e muitas vezes repetidas na virada seguinte.

Aprender um idioma, fazer aquela pós-graduação, viajar, ler mais, ter mais tempo para a família estão entre as aspirações de muitas pessoas. Mas as imbatíveis mesmo, aquelas que quase todo mundo já fez em algum momento da vida, são as resoluções para emagrecer e começar a fazer exercício. 

Nessa virada, com certeza, haverá muita gente, mais uma vez, traçando esses planos. E talvez seja mesmo a hora de encarar esse pacote em prol da saúde, não é? Mas como cumpri-lo à risca no atropelo do dia a dia?

“Sendo realista”, responde a nutricionista Marisa Diniz. “Não existe fórmula mágica: alimentação ideal é aquela em que a pessoa consegue colocar na sua rotina”, garante.

E o objetivo dessa alimentação tem de ser o de gerar nutrientes para o organismo, prevenir doenças e também proporcionar prazer a quem a consome. “Comida agrega e a vida é feita de prazeres, não podemos perder isso de vista”.

Nada de privações para quem pretende perder peso no ano novo. “Cortar radicalmente um alimento da dieta é gerar uma compulsão”, afirma a especialista. Tampouco ela recomenda que as pessoas mantenham a linha durante a semana e abram a guarda quando chega o sábado e o domingo. A dica de Marisa é o equilíbrio. 

“Comer sem exageros, diminuir quantidade e investir em qualidade é o melhor a fazer para manter massa muscular e não comprometer a saúde”, pontua. 

Que tudo se realize no ano que vem

 

Nesse sentido, uma boa pedida, quando possível, é se dedicar à cozinha e fugir dos alimentos processados. 

Foi seguindo esses preceitos que Marcos Giglio, de 52 anos, conseguiu perder 30 quilos em um ano. Com excesso de peso, ele sofria de refluxo, por conta de uma hérnia de hiato há 11 anos. 

“Tive de operar, mas para tanto eu precisava emagrecer, caso contrário colocaria em risco o resultado da cirurgia”, conta.

Sem tomar remédio nenhum, ele seguiu as recomendações da nutricionista Marisa Diniz e conseguiu chegar ao seu objetivo. “Fiz uma reeducação alimentar, passei a comer alimentos que eu nem sabia que existiam, como jiló e quiabo, cortei produtos altamente processados e industrializados, basicamente”, revela. 

Os compulsivos, diz Giglio, não sentem prazer em comer, devoram o alimento sem nem saber o que estão engolindo. Resgatar esse gosto o ajudou a perder peso. 

 “Não vou dizer que foi fácil. No início, tive dificuldade, achava que não iria conseguir, mas insisti e está dando certo. Hoje, me sinto outra pessoa, durmo melhor e descobri o prazer que uma alimentação saudável proporciona”. 

Feita a cirurgia da hérnia, a próxima meta de Giglio, no início de 2020, será praticar exercício físico. 

 

“Do ano que vem não passa, vou para a academia!”

O cardiologista Heron Rached já perdeu a conta de quantos pacientes dizem isso e depois abandonam a resolução. A falta de aderência a essa e a outras recomendações médicas é algo que preocupa o especialista. “No Brasil, dois terços das pessoas diagnosticadas com hipertensão não se tratam”, diz. Outro tanto, com diabetes, também não toma medicação corretamente, muito menos segue uma dieta controlada.

“As pessoas precisam entender que saúde é patrimônio, é a coisa mais importante da nossa vida”, alerta.

No país em que a maioria morre por doenças cardiovasculares, Rached assegura que bastam 30 minutos diários de uma caminhada em passo rápido para reduzir drasticamente a chance de um infarto ou de um acidente vascular cerebral.

Para começar o ano novo, então, ele sugere que toda pessoa, a partir dos 20 anos, seja homem ou mulher, dê para si um presente: uma avaliação de sua saúde, para, então, partir para a prática do exercício. 

O primeiro passo é procurar um cardiologista ou clínico geral. Ele irá avaliar a necessidade de cada um e prescrever os exames indicados ou orientar que procure esse ou aquele especialista. 

“O básico é fazer um hemograma completo, um teste ergométrico e um eletrocardiograma”, pontua.

 

Que tudo se realize no ano que vem

 

Saúde como um todo

E quando se fala em cuidar do corpo, diz o cardiologista Rached, é importante não esquecer que a saúde mental deve estar dentro desse pacote. “Muita gente engorda porque está ansioso ou deprimido. No dia a dia, é preciso encontrar tempo não só para trabalhar, mas também para relaxar, meditar”, afirma. 

No final do ano, os inevitáveis balanços, retrospectivas e pressão para fazer metas muitas vezes colaboram para aumentar a ansiedade ou para deflagrar uma depressão – às vezes por conta do que não foi conquistado. 

A psicóloga Daiane Piarete não vê problemas em traçar planos. Eles podem ajudar a organizar caminhos que se deseja trilhar. Mas, muito importante, é fazer projetos realistas e  aprender a lidar com o imprevisível, com as incertezas e com aquilo que às vezes interrompe um planejamento. “Saber se reinventar se for necessário é fundamental”, diz Daiane.

Imprescindível, portanto, é o autoconhecimento. “Será que metas traçadas são reais ou ilusórias? São pessoais ou feitas apenas para agradar o olhar externo? Respeitam meus limites?”

Ter claro isso é importante para não se frustrar ou se angustiar, segundo Daiane. “A reflexão e compreensão sobre o motivo da frustração ou da angústia pode ser fundamental para o amadurecimento emocional”. 

O poeta Carlos Drummond de Andrade, em seu belo poema “Receita de Ano Novo”,  já apontava para essas questões. “Para você ganhar belíssimo ano novo (…) não precisa de lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. (…) Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo. (…) É dentro de você que o ano novo cochila e espera desde sempre”.

 

Para um ano novo realmente novo:

 

  • Trace metas que possa de fato cumprir
  • Mantenha uma alimentação equilibrada
  • Dedique-se mais à cozinha
  • Descubra alimentos novos
  • Aprenda a saborear melhor cada alimento
  • Faça ao menos 30 minutos de caminhada diariamente
  • Faça uma avaliação médica de sua saúde
  • Cuide da mente tanto quanto cuida do corpo: encontre tempo para relaxar, ver os amigos, ler, meditar, respirar fundo
  • Pense se suas resoluções para 2020 são mesmo adequadas a você ou feitas apenas para agradar aos outros
  • E não se boicote

Search

+