primeiros socorros

Primeiros-socorros em crianças: Saiba como agir


Conhecimentos básicos

Nunca se sabe quando uma emergência pode surgir, por mais cuidado que se tome. Na área de saúde, especialmente infantil, é importante ter conhecimentos básicos para saber como agir se uma situação emergencial ocorrer. Pensando em auxiliar os pais, o Hospital Leforte preparou a cartilha para auxiliar nos primeiros-socorros.

 

QUEIMADURAS

CAUSAS:

• Térmica
• Eletricidade
• Produtos químicos

O QUE FAZER:

• 1º grau (supercial) ou 2º grau (parcial)
Resfriar o local com água corrente de 10 a 30 minutos.

• 3º grau (profunda)
Cubra com gaze esterilizada ou pano limpo e procure imediatamente o pronto-socorro. Procure sempre orientação médica.

Obs.: Não resfriar a criança se a superfície corporal queimada for acima de 10%. Cubra comum pano limpo e procure orientação médica.

O QUE NÃO FAZER:

NÃO coloque clara de ovo ou pomadas sem orientação médica.

 


SANGRAMENTO NASAL

CAUSAS:

• Ressecamento nasal
• Hipertensão
• Traumas

O QUE FAZER:

Traumas – causados por bolada, cotovelada etc:
Colocar gelo por 15 minutos e procurar atendimento médico.

• Causas adversas
Pinçar o nariz por 5 a 10 minutos e manter a cabeça reclinada para frente.

O QUE NÃO FAZER:

NÃO colocar algodão, pano ou qualquer outro tampão no local.
NÃO colocar a cabeça para trás.

 


DESMAIO

CAUSAS:

Desidratação
• Fortes emoções
• Hipoglicemia (baixo açúcar no sangue)
• Traumas
• Problemas cardiológicos
• Pressão baixa

O QUE FAZER:

Se a pessoa estiver respirando, coloque-a deitada de lado, de preferência para o lado esquerdo.

O QUE NÃO FAZER:

NÃO oferecer sal.
NÃO jogar água no rosto.
NÃO passar álcool no pulso ou no nariz.
NÃO bater na face da pessoa.

 


ENGASGO

CAUSAS:

• Obstrução por objeto ou alimento

O QUE FAZER:

• Se a pessoa tossir, estimular para que continue até desengasgar sozinha.
• Se não tossir nem emitir ruídos respiratórios, iniciar a manobra de desengasgo (Heimlich).

O QUE NÃO FAZER:

NÃO bater nas costas.
NÃO elevar os braços.
NÃO oferecer líquidos ou sólidos para desobstruir a garganta.

 


 

RCP – Ressuscitação Cardiopulmonar

Avaliação da vítima (ABC)

A – Alerta / ajuda / vias aéreas
Chame a vítima e se ela não responder peça ajuda, acionando 192. Enquanto chama observe a vítima, veja se ela respira

B – “Boa” respiração
Observe se há movimentos respiratórios e se a respiração é normal ou anormal.

C – Sem respostas / sem respiração / respiração anormal
Inicie a RCP fazendo as compressões até que a vítima retorne. Pare somente se notar que a vítima deu algum sinal de vida ou até o resgate e/ou equipe médica chegar ao local e entrar em ação.

INCONSCIENTE
Faça a avaliação ABC – verifique a resposta e a respiração.

RESPIRA
Coloque a vítima em posição de segurança, deitada de lado.

NÃO RESPIRA
Após a avaliação ABC, faça as compressões mantendo o mesmo ritmo, rápido e forte. Caso a vítima seja um membro da família, ou você a conheça, poderá realizar 30 compressões e 2 insuflações (boca a boca) colocando ar até elevar o tórax, mantendo 30 compressões x 2 insuflações até a chegada do serviço de emergência.

Como fazer as compressões torácicas
• Traçar uma linha imaginária entre os mamilos da pessoa.
• Encaixar o “calcanhar” da mão direita no centro entre os mamilos, onde está o osso que precisa ser pressionado.
• Colocar os dedos da mão esquerda entre os dedos da mão direita e puxá-la fazendo pressão sobre o peito.
• Comprimir rápido e forte, afundando o peito da vítima de 3 a 5 cm, deixando retornar e voltando a comprimir até que a pessoa reaja ou até a chegada do serviço de emergência.

Search

+