Por que o Novembro Azul é necessário?

Artigo por Paulo Maron – Urologista do Hospital Leforte


Assim como outubro ganhou força e vem mobilizando a sociedade no sentido de prevenir o câncer de mama, em novembro os alertas são para o diagnóstico precoce do câncer de próstata. De acordo com o Inca, em homens, a doença é a segunda maior causa de morte por câncer no País.

Esse cenário faz do Novembro Azul algo tão relevante, e as informações amplamente divulgadas nesse período são ferramentas eficientes na prevenção do câncer.

Nós também abraçamos esse movimento e, durante todo o mês, traremos entrevistas, vídeos e esclarecimentos sobre o câncer de próstata. Acompanhe e compartilhe as informações!

Em artigo, o médico urologista do Hospital Leforte, Paulo Maron, conta a história do Novembro Azul e destaca a importância da informação no combate a doenças.

 

Novembro Azul

O dia 17 de novembro, Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, foi crucial para o início do Movember, movimento australiano surgido a partir de 2003. O evento consistia no “cultivo do bigode” no mês de novembro com o objetivo de chamar a atenção para as doenças do homem. Desde então, o movimento ganhou corpo e se espalhou pelo mundo.

A partir de 2008, a campanha Novembro Azul teve início no Brasil com apoio da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), e hoje é referência na lembrança de prevenção e cuidados nas mais variadas doenças do sexo masculino, dentre elas o câncer de próstata, o mais comum na população masculino em todo o mundo. Em escala global, as projeções mostram um aumento de 80% dos casos de câncer de próstata nos próximos 10 anos.

Sabemos que este tumor tem altíssima taxa de cura quando detectado de forma precoce, e as medidas de rastreamento (os exames de rotina da próstata), que inclui o PSA e o exame de toque retal, é a nossa melhor arma.

Além disso, estatisticamente, sabemos que mais da metade dos homens (51%) até os 35 anos nunca foi ao urologista!

Ou seja, será que muitos não têm alguma doença ou dúvidas genito-urinárias?

As mulheres, geralmente mais precavidas, costumam visitar médicos desde a puberdade e costumam realizar exames periodicamente. Já faz parte do hábito e da cultura do mundo feminino, e isso tem um grande impacto na saúde delas.

Para os homens, o urologista assume papel central, pois em muitas ocasiões, é o primeiro médico que muitos deles têm contato. Se para as mulheres o ginecologista é o médico de confiança, para os homens o urologista deveria exercer a mesma função, e é justamente isto que a campanha Novembro Azul busca trazer.

 

Principais motivos para a consulta com o urologista:

  • Câncer de próstata
  • Câncer de testículo
  • DSTs
  • Disfunção sexual erétil
  • Alterações penianas e escrotais

E, mesmo nos casos de pacientes sadios, reforça-se a busca por autoconhecimento. Afinal, como saber se há alterações se você não sabe o que é normal?

É fundamental que todos cuidem da saúde.

 

 


 

Dr. Paulo Maron

Paulo Maron é especialista em Urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), com Residência Médica em Cirurgia Geral e Urologia, pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Possui título de mestre em Ciências, na área de Oncologia, obtido pela Fundação Antônio Prudente – AC Camargo Cancer Center, e tem experiência em Uro-oncologia, com fellowship no City of Hope Comprehensive Cancer Center, Califórnia (EUA).

 

 

Leia mais:

O que colocar na lancheira das crianças?

Saúde do coração da mulher

Hipertensão arterial

Search

+