Benefícios do chocolate

Os Benefícios do Chocolate

Por Marisa Diniz Graça, nutricionista do Hospital Leforte


Ao contrário do que muitos acreditam, o chocolate é considerado um alimento saudável e nutritivo, mas deve ser consumido com moderação. A semente de cacau possui uma substância antioxidante chamada flavonoide, que age como protetor cardiovascular. Os benefícios dependem da quantidade de flavonoides presente no chocolate, o que varia de acordo com o tipo do produto.

 

Para escolher a opção mais saudável, é preciso conhecer os tipos de chocolate, e existem vários:

  • Chocolate ao leite: contém pelo menos 25% de pó de cacau em sua composição, além de possuir leite (o que faz com que o alimento tenha colesterol e gordura saturada). Possui muito açúcar e, muitas vezes, gorduras hidrogenadas.
  • Chocolate meio amargo: Conta com pelo menos 40% de pó de cacau em sua composição. Possui menos leite e menos açúcar que a opção ao leite.
  • Chocolate amargo: Contém ao menos 70% de pó de cacau em sua composição. Esse alimento não possui leite e tem menos açúcar e gorduras. Quando consumido em quantidades moderadas pode proporcionar diversos benefícios à saúde.
  • Chocolate branco: Não possui pó de cacau em sua composição. É feito com a manteiga do cacau e açúcar e, infelizmente, em muitos casos, também leva boas quantidades de gorduras hidrogenadas. Portanto, é a pior opção para o consumo.

Benefícios do consumo

O chocolate amargo é considerado mais saudável porque possui alta concentração de cacau, portanto, mais flavonoides possui, nutriente este com ação antioxidante. Em média, o chocolate amargo possui o triplo de antioxidantes do que o chocolate ao leite.

Uma maior ingestão de antioxidantes na dieta colabora com a diminuição da taxa de radicais livres na corrente sanguínea, cuja concentração está relacionada a doenças cardiovasculares e alguns tumores; também ajuda na redução do depósito de placas de gordura nas artérias, prevenindo infartos e derrames.

A partir de 55% de cacau na composição do chocolate já são observados benefícios, e atualmente encontram-se opções no mercado com 75%, 80% ou até mesmo 100% de cacau.

 

Mais alguns benefícios para incluir o chocolate amargo na rotina:

Diminui o risco de câncer: o câncer tem relação com a oxidação do DNA, a oxidação excessiva aumenta o risco da doença. Como os flavonoides agem impedindo uma parte dessa oxidação, eles acabam ajudando a reduzir o risco de câncer.

Protege a pele: a radiação ultravioleta aumenta a oxidação das células da pele, e os flavonoides, devido à forte ação antioxidante, protegem a pele contra essa radiação.

Melhora a sensação de bem-estar: o chocolate é fonte de triptofano, aminoácido precursor da serotonina, hormônio responsável pelo prazer. O cacau ajuda na formação de neurotransmissores que estão relacionados com o relaxamento e a redução da ansiedade.

Protege o cérebro: por conter os flavonoides que possuem ação antioxidante, o consumo diminui o excesso de oxidação no cérebro e pode prevenir doenças degenerativas como o Alzheimer.

 

Qual o consumo ideal?

Para obter os benefícios, o ideal é consumir 30 gramas (2 quadradinhos) de duas a três vezes por semana, de preferência após o almoço. Deve-se evitar o consumo após muito tempo em jejum pois o pico de glicemia aumenta e com isso amplia-se a reserva de gordura abdominal.

Também é preciso evitar o consumo do chocolate amargo com leite ou outras fontes de cálcio pois o oxalato presente no cacau pode inibir a absorção do cálcio.

Ingredientes:
2 bananas nanicas amassadas
2 colheres (sopa) de flocos de quinua
2 colheres (chá) de cacau em pó
2 colheres (café) de mel
2 colheres (chá) de nibs de cacau
Cacau em pó (somente para passar os docinhos prontos)

Preparo:
Coloque em uma panela antiaderente todos os ingredientes, exceto os nibs. Leve ao fogo baixo e mexa até desprender do fundo da panela. Após desligar o fogo, acrescente os nibs de cacau, mexa bem e faça bolinhas, passe pelo cacau em pó e coloque em forminhas de docinhos.

 

Leia mais:

O que colocar na lancheira das crianças?

Conheça a Pediatria do hospital Leforte

Hipertensão arterial

Search

+