nutricionista

Nutricionista e emagrecimento, vamos fazer as pazes?

Por Dra. Marisa Diniz Nutricionista do Hospital Leforte


Atualmente, as pessoas apresentam uma relação muito complexa e complicada com a comida, e cada vez mais a sensação de culpa após cada refeição e a dificuldade para manter ou reduzir o peso são as principais consequências dessa difícil relação.

É preciso questionar por que, apesar de toda a informação disponível sobre nutrição e emagrecimento e da enorme variedade de dietas disponíveis, a obesidade continua crescendo exponencialmente no mundo todo.

Constantemente surgem dietas ou “tendências” que muitas vezes colocam um ou outro alimento na posição de saudável ou não saudável, bons ou ruins, e esse tipo de “beatificação” ou “demonização” pode implicar em efeitos negativos na vida das pessoas.

O comportamento desencadeado por essa forma de se alimentar passa a transformar a comida em vilã, já que as pessoas passam a enxergá-la simplesmente como um pacote de nutrientes, um conjunto de calorias associadas a uma fórmula matemática, dificultando a relação com o alimento, a vida saudável e o emagrecimento.
 

Dietas de emagrecimento

Vários estudos comprovam que as dietas da moda, restritivas, com proibições alimentares, não funcionam a longo prazo, e cerca de 95% das pessoas não conseguem se manter na “dieta” por muito tempo. Por isso o tipo de dieta não funciona.

Ou seja, apesar de cada dia termos mais acesso a informações sobre alimentos, pessoas ainda encaram a comida como grande inimiga. Baseados nisso, os nutricionistas têm hoje o objetivo de mudar urgentemente essa relação, fazendo com que as pessoas sintam prazer (e não culpa) em comer.

O comportamento alimentar de nossa sociedade precisa mudar e o nutricionista tem um papel fundamental nessa mudança, com a função de acolher as pessoas, principalmente as que já estão muito fragilizadas após tantas tentativas fracassadas de dieta. As pessoas perdem peso, recuperam, esperam milagres, buscam por uma alimentação perfeita, o que é também um transtorno.

A abordagem da nutrição comportamental que busco utilizar é fazer com que a pessoa faça as pazes com a comida, promovendo mudanças para a vida inteira por meio de uma alimentação saudável, auxiliando na organização e planejamento com dicas e receitas praticas.

Isso significa alimentação consciente e sem proibições, com respeito aos sentidos físicos e psicológicos de cada indivíduo, sem prescrições que excluem carboidratos ou reduzem drasticamente as calorias. Educação alimentar.

Desta forma, é muito mais fácil chegar a um peso ideal, que se manterá por toda a vida.

 

 


 

 

Marisa Diniz Graça

Marisa é Nutricionista Clínica Funcional do Hospital Leforte e especialista em Nutrição aplicada à saúde e qualidade de vida. Atua como palestrante e conferencista em universidades, empresas privadas e públicas e também possui formação como Pedagoga e Psicopedagoga.

 

Leia mais:

Conscientização é a maior aliada no combate ao tabagismo

Como seu organismo reage quando você para de fumar? Veja os benefícios

Hipertensão arterial

Search

+