Núcleo de Apoio ao Paciente
Grupo Leforte

Núcleo de Apoio ao Paciente

A descoberta de uma doença mais grave impacta de forma bastante acentuada a vida do paciente e de seus familiares.

No caso do câncer, por exemplo, ainda há o estigma de que a doença não oferece chances de cura à pessoa. E isso mesmo com tantas notícias sobre novos tratamentos e inúmeros casos de sucesso. Por causa dessa sensação de insegurança e do medo do que virá pela frente, receber apoio especializado faz muita diferença para o paciente. Dentro das equipes multidisciplinares, cada especialista tem papel essencial para que o paciente siga com mais otimismo. Isso ocorre porque ele consegue reconhecer na experiência e atenção desses profissionais o suporte necessário para sentir-se mais tranquilo.

É aí que entra o protagonismo da enfermeira navegadora, a fim de facilitar a rotina de consultas e exames. É ela quem “pegará na mão” do paciente e o conduzirá por toda a terapia. Uma relação de confiança que conforta tanto quem passa pelo tratamento como os familiares.

Grupo Leforte

ENFERMEIRA NAVEGADORA, CUIDADO HUMANIZADO

A atuação da enfermeira navegadora começa logo que o diagnóstico da doença é confirmado. Pelo menos 90% dos pacientes que recebem acompanhamento dessa profissional são oncológicos.

Em parceria com a equipe médica, ela toma a frente da “agenda do paciente”. Nessa tarefa, antevê tudo que precisará ser feito e no tempo mais adequado, por isso, de maneira totalmente individualizada.

A enfermeira navegadora auxilia na organização estratégica do cuidado do paciente, com acompanhamento periódico para garantir atendimento a todas as necessidades. Certamente, oferece suporte às consultas e exames e mantendo o histórico e os dados de saúde eletrônicos do paciente atualizados. A enfermeira é a ponte entre paciente e equipe multidisciplinar do hospital.

 

ENTRE EM CONTATO CONOSCO – (11) 99642-6529

Núcleo de Apoio ao Paciente
Núcleo de Apoio ao Paciente

ENFERMEIRA NAVEGADORA NA ONCOLOGIA

  • Diminuir o tempo entre o exame alterado e a confirmação do diagnóstico, a fim de reduzir a morbidade e mortalidade, eliminando barreiras de acesso ao tratamento do câncer.
  • Reduzir atrasos na autorização e realização de exames e procedimentos para início do tratamento.
  • Ajudar o paciente a superar o impacto do diagnóstico e a dificuldade de entendimento da evolução da doença.
  • Guiar o paciente nos processos administrativos e burocráticos de seu tratamento.
  • Orientar paciente e familiares em todas as fases das terapias oncológicas, estimulando o autocuidado para diminuir o impacto em suas atividades de vida diária
  • Apoiar na tomada de decisão, assegurando que os pacientes estejam plenamente informados quanto aos riscos e benefícios das opções de tratamento, e que seus valores e preferências sejam integrados nas decisões do tratamento.
  • Suporte de cuidados paliativos, acompanhando efeitos colaterais tardios e de longo prazo, e demais barreiras físicas à qualidade de vida dos pacientes.

Veja mais na 4ª edição da Revista Bem-Estar no tratamento oncológico.