tratamento mal de parkinson

Identificação precoce é o melhor caminho para tratamento adequado ao Parkinson

4 abr 2019 Releases

Dia 04 de abril marca a data de alerta da doença

Tremor, rigidez ou inflexibilidade dos membros ou articulações, lentidão de movimentos e instabilidade postural. Estes são os principais sintomas do Parkinson, distúrbio neurológico que atinge cerca de 200 mil pessoas no Brasil. Para alertar a população, foi instituído o dia 4 de abril como Dia Nacional do Parkinsoniano.

Descoberta em 1817 pelo médico inglês James Parkinson, a principal causa da doença é a morte das células de uma região do cérebro que produz dopamina, um neurotransmissor que, entre outras funções, controla os movimentos. A predominância do quadro é entre os homens, com idade acima de 60 anos.

“O diagnóstico de Parkinson assusta, mas há medicamentos e atuação de suporte multiprofissional, como fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição e psicologia, que ajudam a inibir ou minimizar alguns dos sintomas. Não há forma de prevenção ativa para a doença, mas sabemos que alimentação saudável e atividade física ao longo da vida são itens que contribuem para a prevenção de doenças neurodegenerativas”, explica o Dr. José Luciano Monteiro Cunha, coordenador da área de Neurologia do Hospital Leforte.

O especialista enfatiza que, ao identificar qualquer um dos sintomas da doença, recomenda-se procurar um neurologista. Por meio de avaliação clínica, esse profissional poderá fazer a suspeita diagnóstica e se necessário, solicitar exames complementares que irão revelar se há alguma alteração cerebral que justifique o quadro de parkinsonismo.

O médico também reforça que há outros sintomas que podem estar associados ao início da doença, mas que podem passar despercebidos ou ser confundidos com outras doenças. Entre eles estão os distúrbios da fala, dificuldade para engolir, depressão, dores, tontura e distúrbios do sono, respiratórios e urinários.

 Sobre o Leforte

Atualmente, o Grupo Leforte possui três unidades hospitalares que somam 620 leitos, sendo duas em São Paulo, nos bairros da Liberdade e do Morumbi, e outra em Santo André, no ABC Paulista. Também possui unidades especializadas em Oncologia, em Higienópolis, Alphaville e Osasco, e uma voltada para Pediatria, em Santo Amaro, além de policlínicas em Alphaville e Cotia. O Leforte é o Hospital Oficial do GP Brasil de Fórmula 1.

Search

+