Hospital Leforte oferece dicas para as férias

17 dez 2018 Releases

Cuidados com saúde e prevenção de pequenos acidentes contribuem para um período de descanso mais tranquilo


Cerca de 3,7 mil crianças com idades de um a 14 anos morrem em decorrência de acidentes, muitos deles domésticos, e outras 113 mil são hospitalizadas todos os anos no País. Os dados são da OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) Criança Segura.

Com o objetivo de ajudar a reduzir estes números que costumam ter um índice significativo no período de férias, o Hospital Leforte separou algumas orientações para pais e responsáveis. “É importante saber prevenir, mas acidentes acontecem e ter conhecimentos básicos para agir em uma situação emergencial é extremante válido”, explica a Dra. Denise Bedoni, coordenadora de Pediatria do Grupo Leforte.

 

Sol e água

Na praia ou piscina, o uso de protetor solar precisa ser levado à sério, mesmo estando na sombra do guarda-sol. A informação é válida para crianças e adultos.  Já no caso de bebês com menos de 6 meses recomenda-se não utilizar protetores, evitar o sol das 10h às 16h e usar roupas de algodão e chapéu como proteção contra os raios solares.

O lazer próximo à água merece uma atenção extra para evitar afogamentos, com o uso de coletes salva-vidas e boias. Mas, caso ocorra o acidente, é indicado retirar a criança ou adulto da água, verificar se está respirando e deitá-la sobre o lado esquerdo do corpo, para que possa expelir a água. Caso a pessoa apresente falhas na respiração, é preciso fazer a respiração boca a boca, massageando o tórax e, paralelamente, ligar para o serviço de atendimento a emergências.

 

Alimentação e engasgo

A alimentação e o consumo regular de líquidos são dois pontos que merecem atenção a fim de evitar desidratação, intoxicações alimentares e diarreias. “O melhor é não fugir muito da rotina, lavar bem as frutas e verduras e evitar frituras, ou comidas gordurosas. Além disso, consumir líquidos, de preferência água e os sucos naturais”, destaca a médica.

O engasgo ou obstrução por objeto ou alimento também é um acidente que pode ocorrer. Neste caso, se a pessoa tossir, estimule para que ela continue até desengasgar sozinha. Se não tossir, nem emitir ruídos respiratórios, recomenda-se o início da manobra de desengasgo (Heimlich), que consiste em fazer compressões abaixo das costelas, empurrando para cima e abraçando a criança por trás, até que o objeto seja expelido.  A médica também reforça que não se deve bater nas costas, elevar os braços ou oferecer líquidos ou sólidos para buscar desobstruir a garganta.

 

Desmaios, queimaduras e cortes

No caso de um desmaio, as possíveis causas podem ser desidratação, fortes emoções, hipoglicemia (baixo açúcar no sangue), traumas, problemas cardiológicos e pressão baixa. Se a pessoa estiver respirando, coloque-a deitada de lado, de preferência para o lado esquerdo. Não ofereça sal, não jogue água no rosto e não passe álcool no pulso ou no nariz. “As pessoas precisam entender que os médicos não querem desrespeitar costumes, mas falamos baseados em estudos e técnicas comprovadas de primeiros-socorros”, destaca Denise.

No caso de queimaduras de 1º grau (superficial) ou 2º grau (parcial) recomenda-se resfriar o local com água corrente de 10 a 30 minutos. E, no caso de 3º grau (profunda), cubra com gaze esterilizada ou pano limpo e procure imediatamente o pronto-socorro.

Se ocorrerem ferimentos com objetos pérfuro-cortantes, como tesoura, lápis e faca, que são os mais comuns, o ideal é procurar imediatamente a emergência.


Sobre o Leforte

O Grupo Leforte possui três unidades hospitalares que somam 620 leitos, sendo duas em São Paulo, nos bairros da Liberdade e do Morumbi, que têm certificação pela metodologia canadense Qmentum International, nível Diamante, e outra em Santo André, no ABC Paulista. Também possui unidades especializadas em Oncologia em Higienópolis e Alphaville e uma voltada para Pediatria, em Santo Amaro.  O Grupo possui grande tradição nas áreas de Cardiologia, Neurologia, Oncologia, Traumatologia, Pediatria e transplantes de medula, fígado, pâncreas e rins. Desde 2017, o Leforte é o Hospital Oficial do GP Brasil de Fórmula 1.

 

 

 

Search

+