Educação alimentar Ensine o que é comer bem

Educação alimentar na base do desenvolvimento

Quando se debate sobre educação infantil, o mais habitual são as abordagens sobre formação intelectual, cognitiva, motora e emocional da criança. Não há dúvidas de que são fatores da base da formação do indivíduo, mas é preciso abrir espaço também para outra questão primordial: educação alimentar.

Mas por que?

Porque a alimentação também deve integrar o conjunto de valores inerentes ao desenvolvimento da criança. O que se aprende durante a infância e a adolescência muito provavelmente se tornará hábito na vida adulta. Portanto, o que for estimulado nessa fase da vida tem grandes chances de ser o habitual no futuro.

Mas o que isso importa?

Sobretudo, implica em ter mais ou menos saúde. A criança que se acostuma ao sabor atrativo dos alimentos industrializados, sem frutas, vegetais e cereais na rotina alimentar, como resultado esperado vai preferir abastecer a dispensa com bolos, bolachas e chocolates na fase adulta. E quando adulta, ao ser repreendida pelo médico sobre a falta do saudável no dia a dia, terá de reaprender a comer.

Nesse sentido, a falta de um cardápio de qualidade pode afetar desde cedo a saúde, prejudicando certamente o desenvolvimento adequado de todo o organismo. Com os anos, aliás, pode até mesmo desencadear doenças.

Ou seja, ensine seu filho desde cedo que o melhor alimento é aquele que nutre. É na idade pré-escolar que a criança inicia a formar a sua personalidade, inclusive para a alimentação. Seja exemplo também aqui. Lembre-se que ele aprenderá com suas escolhas, reproduzirá o seu comportamento.

  • Busque meios criativos de realçar o sabor da comida
  • Deixe os pratos mais atraentes tanto ao paladar quanto aos olhos (criança adora tudo o que é colorido)
  • Coloquem juntos a mão na massa
  • Coloque sempre uma fruta na lancheira
  • Determine os horários para as refeições
  • Façam as refeições em família
  • E faça desse momento algo prazeroso para todos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia também

Como alimentar-se melhor. 

Guia Nutrição – os melhores alimentos.

 

Sim, comida saudável “forma” adultos saudáveis

Especialistas falam em obesidade como um problema de saúde pública. E realmente se transformou em um problema crônico nas últimas décadas, muito pelo estilo de vida contemporâneo. O tempo ficou curto para os afazeres diários, por isso recorrer à praticidade da comida pronta congelada, à venda nos mercados, faz parte da rotina das pessoas. Ou refeições nos fast foods dos centros comerciais.

Isso significa que, na educação alimentar, o hambúrguer, a batata frita e a bolacha recheada estão proibidos?

Não exatamente.

Claro, o ideal é sempre evitar alimentos industrializados, principalmente os carregados de sódio e gorduras. Especialistas costumam liberar o consumo esporádico, quando a vontade é muito grande. Mas proíbem sim em casos como diabetes ou problemas cardíacos mais graves.

Algumas pessoas optam por alimentação 100% vegetariana ou orgânica ou rica em valor nutricional. São linhas de alimentação em que o consumo de alimentos processados inexiste (por escolha própria). Ou isso ocorre em situações absolutamente pontuais – o brigadeiro e o pastelzinho da festa de aniversário. Ou seja, elas praticamente excluem as alternativas não saudáveis.

Resumindo, entre o croissant e o pão integral, opte pelo segundo para o seu filho e para você também. E no momento de desejo de comer uma besteira, uma porção pequena será o suficiente. Mas desde que esses momentos não sejam dia sim, dia não. Que tal reservar um dia do fim de semana para “o dia da besteira”?

 

Educação alimentar

Educação alimentar + gasto de energia!

Se a prática de atividade física é necessária na vida adulta, na infância e adolescência ela é imprescindível. Por isso, não prive seu filho da fazer algum esporte ou brincadeira (segura) que gaste energia. Pelo contrário, estimule-o!

Cada vez mais pediatras e hebiatras recebem em seus consultórios crianças e adolescentes com sobrepeso ou obesos. Também pelos hábitos modernos, é um público que prefere o computador e o celular ao exercício.

Mas não recue. Promova situações para que seu filho perceba como é divertido a brincadeira longe do sofá.

Melhores atividades para crianças e adolescentes:

  • Natação
  • Dança
  • Artes marciais
  • Corrida
  • Futebol

Nessa fase, exercícios de ganho de massa como musculação não são indicados.

 

Conheça a história do Davi, de 4 anos.

Intoxicação alimentar – entenda o que fazer. 

Search

+