Dor nas costas

Dor nas costas: o que fazer?

Quantas vezes durante o dia você se pega sentado de qualquer jeito, com os ombros caídos e a coluna desajeitada no encosto da cadeira? Ou com qual frequência faz movimentos errados, sobrecarregando a coluna?

Quando esses descuidos viram hábito, os riscos de, em alguns anos, surgirem dores nas costas e na coluna cervical aumentam. Se o problema se instalar, poderá tirar o sossego e o sono por dias, meses ou anos, caso não haja tratamento adequado. E se ocorrerem crises, a pessoa mal conseguirá manter-se em pé durante o período de dor intensa, ficará impedida de praticar atividades cotidianas e, geralmente, precisará ser afastada do trabalho.

Dor nas costas sentada

Dependendo da intensidade, a dor na coluna pode irradiar para outras regiões do corpo, como cabeça, pernas, braços, com fisgadas nesses locais. Quando em estágios mais graves ou avançados, o problema é capaz de provocar tontura, dificuldade para enxergar, ouvir e até mesmo para deglutir.

Por isso, ao sentir desconforto ou dores na coluna, evite a automedicação. Busque ajuda de um especialista, pois os tratamentos são específicos para cada caso. E não subestime o problema, porque um aparente mal jeito pode ser algo mais grave. Cuidar da saúde não pode ficar para depois.

E lembre-se: praticar atividade física adequada é sempre uma medida acertada na prevenção de dores na coluna.

Veja também sobre tendinite

Coluna vertebral

Veja a seguir alguns dos problemas mais comuns.

Lombalgia

Bastante frequente, provoca dor na base da coluna (região lombar, entre glúteos e costelas), e que pode irradiar para pernas e nádegas. A lombalgia pode ser aguda ou crônica, e dependendo do caso, o médico especialista irá indicar tratamentos complementares ao medicamento, como fisioterapia e RPG.

Alguns fatores podem desencadear lombalgia, como um mal jeito nas costas ou má postura, mas também pode ser consequência de algum trauma local ou osteoporose, por exemplo.

Também pode causar lombalgia:

  • Sedentarismo
  • Bico de papagaio
  • Tumor
  • Quedas ou pancadas
  • Artrite ou artrose
  • Infecção
Atenção redobrada se além da dor ou incômodo ocorrerem perda de peso, febre, dor no peito ou no tórax.

A dor lombar, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS):

– Segunda principal causa de visita de pacientes aos médicos, ficando atrás apenas das dores de cabeça.

– Atinge pelo menos 80% da população mundial.

– Maior causa de afastamento laboral em pessoas com menos de 45 anos.

Dados de 2016.

Coluna por região

Cervicalgia

É a dor que acomete a coluna cervical (região do pescoço), podendo ser um torcicolo ou uma nevralgia cervicobraquial (dor de um lado só, irradiando para o ombro ou braço). Geralmente, os sintomas da cervicalgia são:

  • Dor e rigidez na nuca (pode irradiar para ombros e braços)
  • Formigamento no pescoço
  • Dor ao movimentar a cabeça

Alguns fatores podem provocar cervicalgia, como manter posturas erradas durante o dia ou durante o sono, pois geram tensão muscular e alterações do alinhamento da coluna. Além disso, há o envelhecimento, problemas degenerativos das articulações vertebrais ou dos discos intervertebrais, estresse, traumatismos, lesões, obesidade, espasmos musculares, sobrecarga da coluna cervical, entre outros.

Apenas uma avaliação detalhada, complementada por exames de imagem, pode determinar a origem dos sintomas, diagnosticar se é aguda ou crônica e determinar qual tratamento seguir.

Se a dor vem acompanhada de sintomas neurológicos, como alteração de sensibilidade ou da força muscular, o problema pode ser mais grave – tumores, fraturas, infecções e compressões da medula espinhal, por exemplos.

Hérnia de disco

É o extravasamento (ou deslocamento) do núcleo gelatinoso do disco intervertebral que fica entre as vértebras da coluna e que atua como um amortecedor, comprimindo nervos e provocando dor na região lombar.

A dor pode ser leve, moderada ou incapacitante, e se em maior intensidade, pode trazer dificuldades para andar e movimentar-se, além de fraqueza ou perda de força muscular nos braços e pernas.

Porém, há situações em que a hérnia não causa dor – variam conforme a área do nervo que está sendo comprimida.

Movimentos feitos de forma brusca ou com muito esforço, má postura e o próprio envelhecimento podem causar o rompimento do disco e o extravasamento do núcleo.

Tipos de hérnia

Quando há hérnia de disco lombar, os sintomas costumam ser dor na região lombar (base da coluna) ao se movimentar. A dor, se mais intensa, pode irradiar para glúteo, perna e pé (dor ciática), além de formigamento ou alteração de sensibilidade nesses locais.

Já a hérnia de disco cervical costuma provocar dores no pescoço e nuca, irradiando para ombro, braço, mão e dedos. Também ocorrem formigamentos e alterações de sensibilidade nessas regiões, além de perda de força.

Para obter o diagnóstico adequado da hérnia de disco é necessário, além da anamnese médica, exames de imagem como tomografia computadorizada. O tratamento pode exigir do paciente o uso de medicamentos, sessões de fisioterapia ou RPG e, em casos mais complicados, intervenção cirúrgica.

 

Consulte um ortopedista. Marque aqui sua consulta.

 


Assista também:

Como o corpo trabalha quando pedalamos

Benefícios do Ciclismo

Search

+