Doenças de inverno

Doenças de outono e inverno: Quais são e como evitar


Baixa umidade do ar, maior concentração de poluentes, temperatura mais fria e mudanças bruscas no clima favorecem a proliferação de doenças respiratórias a partir do outono e durante o inverno.

Além das doenças crônicas como asma, pneumonia, bronquite, rinite e sinusite, aumentam as chances de pegar gripes e resfriados e do aparecimento de alergias respiratórias.
 

Por isso, é importante atenção a sintomas como: tosse, coriza, obstrução nasal, expectoração, febre, mal-estar geral e falta de apetite, tanto em adultos quanto em crianças. Um médico otorrinolaringologista deve ser consultado para que diagnostique a doença e para que indique o melhor tratamento. Automedicação pode mascarar os sinais do verdadeiro problema e prejudicar o tratamento correto.

O Hospital Leforte conta com especialistas no Pronto-Socorro adulto e infantil e nos consultórios de especialidades nas unidades Liberdade e Morumbi.
 
Check-in no pronto-socorro (adulto e infantil): inicie o atendimento antes mesmo de chegar ao hospital.

 

Como evitar doenças de outono e inverno?

 
Algumas ações simples podem ajudar a evitar o surgimento das indesejáveis doenças de outono e inverno:

• Hidratação: beber bastante água.
• Alimentação saudável: além de hidratar o organismo, o consumo de frutas típicas da estação e de verduras e legumes ajuda a manter o metabolismo funcionando corretamente e repõe as vitaminas necessárias para manter a imunidade.
• Limpeza do ambiente: é essencial manter os cômodos, as roupas de cama, os tapetes e os carpetes livres da poeira para evitar a proliferação dos agentes infecciosos que causam diversos problemas respiratórios.
• Umidificar de ar: é importante deixar os ambientes mais úmidos colocando toalhas molhadas, recipientes com água ou através de umidificadores (manter ligado por 1 ou 2 horas no máximo. Muita umidade do ar também pode ser prejudicial por ampliar a proliferação de fungos e ácaros).
• Evitar aglomerações e locais muito fechados: locais com grande concentração de pessoas e, especialmente, os fechados que tenham pouca circulação de ar são grandes disseminadores de vírus.
• Aproveite os dias ensolarados para arejar a casa: deixar o ar renovar é importante para eliminar vírus e bactérias.
• Lavar as mãos ao chegar da rua: dessa forma é possível eliminar os agentes infecciosos causadores de doenças como gripes e resfriados.

 

Principais doenças e sintomas


 

Poeira, mofo, pelos de animais e ácaros são alguns dos agentes que podem desencadear crises de rinite alérgica. Os sintomas mais comuns são a obstrução nasal, coriza, espirros, irritação dos olhos e coceira no nariz e na garganta. Existem medicamentos específicos para tratar a rinite, mas um bom começo é cuidar da limpeza dos ambientes.


É uma inflamação das mucosas da face, localizadas na região ao redor do nariz – as conhecidas maçãs do rosto – e na região dos olhos. Quando alguma alteração impede o fluxo das secreções nessa área, a inflamação é provocada. A sinusite pode ser aguda ou crônica. Os sintomas são semelhantes, e os principais são: dor de cabeça, especialmente nos seios da face, congestão nasal, coriza, tosse e em alguns casos febre e indisposição. O mais importante em casos de crise é procurar um médico.

A bronquite é a inflamação dos brônquios – os dutos que levam ar aos pulmões – geralmente acompanha uma infecção viral respiratória, que começa afetando nariz, garganta e seios da face, passando para os pulmões. Pessoas com outras doenças respiratórias ou cardíacas tem predisposição a desenvolver quadros de bronquite. Os sintomas costumam ser falta de ar, chiado no peito, dor no peito, tosse seca, febre. Por se tratar de uma doença que causa complicações a curto prazo, fique atento aos sintomas e faça acompanhamento médico.

A asma ocorre quando os pequenos dutos pulmonares, os bronquíolos, são estreitados por um processo inflamatório, o que dificulta a respiração e pode causar falta de ar – geralmente a expiração fica mais difícil. Tosse e chiado no peito também pode ser sinal de asma.

Comum em bebês e em crianças pequenas, pode aparecer já a partir dos 6 meses de vida. Ocorre quando os bronquíolos inflamam, causando tosse, chiado no peito, falta de ar, cansaço. É uma das grandes responsáveis pelo aumento das internações nas épocas de frio em crianças.

Infecção no pulmão causada por vírus ou bactéria, podendo ser decorrente de um resfriado mal curado. Idosos são mais propensos a ter a doença, e se não tratada a tempo pode ser fatal. Os sintomas comuns são dor para respirar, febre alta, chiado no peito, tosse e febre.

Infecção viral que afeta o sistema respiratório. Alguns sintomas se assemelham à rinite alérgica, como coriza e espirros. Pode ocorrer dor de garganta leve e febre baixa, além de cansaço. A duração é de até cinco dias.

Assim como o resfriado, é uma infecção viral que afeta o sistema respiratório, mas os vírus causadores são outros. Os sintomas são mais intensos, podendo ocorrer tosse, dor na garganta, febre acima de 38°C, indisposição e dores nas articulações e na cabeça e, em alguns casos, diarreia. Costuma levar de sete a dez dias para passar.

Mitos e Verdades sobre a gripe

• Alimentação equilibrada sem longos períodos de jejum ajuda na prevenção: Verdade
• Suplementos vitamínicos protegem da gripe: Mito
• O estresse favorece os quadros de gripe: Verdade
• Pessoas com asma ou rinite contraem gripe mais facilmente: Mito
• Vícios como álcool e cigarros pioram a gripe: Verdade
• Permanecer em locais fechados protege contra a gripe: Mito

 

Leia mais:

Dra. Talita Rizzini sobre o atendimento pediátrico na unidade Liberdade

As doenças sazonais mais comuns da infância

Saúde do coração da mulher

Search

+