Dietas para Hipertensos

Hipertensão: como a alimentação pode ajudar na prevenção e combate


 

De cada 10 brasileiros, três têm pressão alta, e metade dessas pessoas não sabe. Um dos maiores problemas é porque os hipertensos não apresentam sintomas.

Muitas vezes, as pessoas não têm a devida atenção aos alimentos que consomem com mais frequência. Ter uma orientação nutricional para reduzir a pressão arterial e, consequentemente, o risco de problemas cardiovasculares, tem ganhado cada vez mais adeptos.

É importante estar muito atento à quantidade de sódio presente em cada alimento, consultando sempre os rótulos dos alimentos. O sal possui 40% de sódio e está presente em abundância nos produtos industrializados. Por isso, devemos estar vigilantes, pois há sódio em produtos doces, como sucos e refrigerantes, além de pães e biscoitos.
Segundo a nutricionista clínica do Hospital Leforte, Marisa Diniz Graça, a recomendação atual de consumo são cinco gramas de sal por dia (1 colher de chá), ou dois gramas de sódio. Mas não é fácil cumprir, e o consumo do brasileiro está acima de dez gramas por dia.

A dieta dash (sigla em inglês para “abordagem dietética para interromper a hipertensão”) incentiva o consumo de carnes magras, frutas, vegetais, laticínios desnatados, cereais integrais, além de alimentos naturais ricos em potássio, cálcio, magnésio e fibras. Por outro lado, incentiva a redução do consumo de alimentos industrializados, ricos em gorduras saturadas e açúcar.

Uma dieta equilibrada, com a escolha dos alimentos mais adequados, faz toda a diferença para o controle da pressão arterial. Veja algumas sugestões que podem estar no cardápio do hipertenso. O ideal é adquirir um padrão alimentar que deverá fazer parte de um estilo de vida saudável, como o aumento do consumo de fibras, vegetais, cálcio, e a diminuição da gordura saturada.

 

Alimentos recomendados para controlar a Hipertensão

dieta

Amêndoa e nozes

Como são boas fontes de magnésio, as amêndoas e nozes atuam como vasodilatadores, ou seja, ampliadores dos vasos sanguíneos, o que auxilia no controle da pressão arterial. Esses alimentos também são ricos em vitamina E, um dos principais antioxidantes naturais existentes, que ajudam a retardar o envelhecimento e diversas complicações cardíacas.

As nozes são ricas em vitaminas A, C, E, potássio e também magnésio. Vale lembrar que este último nutriente confere relaxamento muscular e a vitamina E é considerada fundamental para a formação de glóbulos vermelhos e do tecido muscular.

dieta

Aveia

Faz parte do grupo dos carboidratos, excelente fonte de fibras, vitaminas e minerais, no processo de emagrecimento por retardar o esvaziamento gástrico, o que prolonga a sensação de saciedade. Auxilia no controle da glicose sanguínea, sendo uma importante ferramenta para hipertensos. Contém magnésio que, em união com o cálcio, ajuda no relaxamento da musculatura, diminuindo o inchaço do corpo.

dieta

Inhame

Reduz o risco de doenças cardíacas. Boa fonte de potássio, ajuda a controlar a pressão arterial. Ademais, a vitamina B6, contida em grande quantidade no inhame, elimina a homocisteína, que pode danificar a parede dos vasos sanguíneos. Estudos descobriram que podem ajudar no aumento do fluxo sanguíneo renal e reduzir a pressão arterial.

dieta

Couve

Contêm um antioxidante que tem a capacidade de reduzir a pressão arterial e reduzir a inflamação nas artérias, coração e rins.

dieta

Beterraba

O uso de nitrato dietético na forma de suco de beterraba, todos os dias, por mais de quatro semanas, reduz significativamente a pressão arterial em comparação com o placebo em pacientes hipertensos.

 

Alimentos não recomendados

dieta

Shoyu

Uma colher de sopa de shoyu tradicional tem quase 35% da recomendação diária que precisamos, a quantidade de sódio elevada vem dos grãos, que são preparados com fermentação de soja e salgados por salmoura. O correto é colocar apenas uma pequena quantidade no pratinho, evitando assim o consumo excessivo. Além disso, dar apenas uma leve passada do peixe e não mergulhá-lo completamente. Também evite o contato do arroz com o molho, pois ele suga o líquido e o consumo aumenta.

dieta

Suco de caixinha

Estas bebidas têm tanto quanto ou até mais açúcar do que os refrigerantes. São até duas colheres de sopa a cada 200 ml, além de uma quantidade grande de sódio, pode sobrecarregar os rins e aumentar as chances de a criança ter pressão alta no futuro. Os corantes e aromas também aparecem no suco de caixinha (inclusive nos de soja), ou seja, mais química ainda. A saída é alterná-lo com o suco natural (ou água mesmo!). Na lancheira térmica, o suco natural dura até três horas sem estragar. Para aumentar a duração da bebida, misture-a com água de coco, que retarda o processo de oxidação, é um hidratante natural e não tem muito sódio nem na versão das prateleiras.

dieta

Macarrão instantâneo e caldos prontos

Um dos motivos pelos quais o macarrão instantâneo faz mal à saúde é que ele tem altas quantidades de glutamato monossódico. Este é um aditivo alimentar muito usado para melhorar o sabor dos alimentos que são processados.

Além do excesso de sódio e glutamato monossódico na fórmula, o macarrão instantâneo tem quantidades enormes de gordura, apresenta 16 gramas de gordura em 85 gramas de alimento, quantidade correspondente a 29% da recomendação de consumo diário.

Dieta Hipertensos

Outros alimentos processados que devem ser evitados

Embutidos: salsicha, presunto, salame, linguiça, mortadela, paio, calabresa, mortadela;

Conservas e enlatados: milho, azeitona, palmito, ervilha, patês;

Alimentos defumados: carne seca, bacalhau, toucinho;

Salgados: croquetes, coxinha, empada, esfiha, quibes, salgadinhos de pacote;

Queijos: parmesão, roquefort, cheddar, provolone;

Molhos prontos: catchup, mostarda, inglês;

Sopas industrializadas: temperos e molhos prontos, caldos de carne.

 

Dieta para hipertensos e cuidado com o Sal

Todas as pessoas precisam cuidar da alimentação, mas em alguns casos, comer corretamente ajuda no controle de doenças crônicas. É o caso da hipertensão.

Entre os cuidados necessários está o controle do consumo de sal e sódio

 

Para o hipertenso, o ideal é que receba constantemente orientação de uma nutricionista para ter melhor controle sobre a pressão arterial e, dessa forma, reduzir os riscos de desenvolver problemas cardiovasculares.
Entre os cuidados necessários está o controle do consumo de sal e sódio, este último, muito presente em alimentos industrializados salgados ou doces. O ideal é consumir até cinco gramas de sal por dia (1 colher de chá), ou dois gramas de sódio.

Marisa Diniz Graça, nutricionista do Hospital Leforte, elaborou um cardápio bastante adequado a quem precisa ficar de olho na dieta.

 

Deve estar na alimentação

– Legumes, verduras e frutas – são as melhores opções de alimentos que ajudam no controle da hipertensão, pois são fontes naturais de fibras, vitaminas e minerais com poucas calorias.

– O consumo de frutas está associado à queda da pressão arterial. As frutas são ricas em vários nutrientes e fibras, responsáveis pelo funcionamento normal do nosso intestino.
Quantidade média recomendada: 3 a 5 porções/dia

– Feijão, ervilhas, lentilhas e grão de bico – são boas fontes de proteínas, fibras, vitamina B e minerais (ferro, zinco e cálcio).
Quantidade média recomendada: 1 porção/dia (1 concha media)

– Arroz, milho e trigo – também devem fazer parte da alimentação para quem tem pressão alta, pois são boas fontes de fibras, vitamina B e minerais.
Quantidade média recomendada: 1 porção/dia (3 colheres de sopa)

– Chocolate – em 40 gramas de chocolate (mínimo 70% de cacau) tem mais de 800mg de substâncias antioxidantes. Entre elas se destacam os flavonoides, responsáveis pela manutenção da função normal do endotélio, camada que reveste os vasos sanguíneos e promove a vasodilatação, essencial para a manutenção da pressão arterial normal.
Quantidade média recomendada: 40g /3 x semana

Oleaginosas – popularmente conhecidas por castanhas, são ricas em minerais, vitaminas, fibras e gorduras saudáveis (insaturadas), desde que não sejam adicionados açúcar ou sal. O conjunto de nutrientes encontrados nas castanhas atua favoravelmente na saúde dos vasos sanguíneos e melhora da pressão arterial, ajudando os vasos a manter a função de dilatação normal. Devido à quantidade de gordura, o cuidado com a quantidade consumida é essencial.
Quantidade média recomendada: 2 a 3 unidades/ 3 x semana

 

Mais dicas


– Consuma leite e iogurte desnatados ou light.
– Dê preferência aos queijos magros (frescal, ricota, cottage).
– Evite frituras, empanados, milanesas, folhados.
– Varie na ingestão de proteína animal, intercalando carne bovina com aves e peixes.
– Remova a gordura visível das carnes, pele de aves, se possível antes do preparo.
– Nas receitas, evite creme de leite, chantilly, maionese, chocolate.
– Consuma diariamente legumes, verduras, frutas e cereais integrais.
– Evite o máximo o consumo de açúcar, doces, refrigerantes e bebidas alcoólicas.

 

Para quem costuma comer na rua

Salada: use vinagre e azeite de oliva como tempero (evite molhos prontos)
Frango: cozido ou assado e sem pele
Bife: escolha com o mínimo de gordura
Peixes: selecione os cozidos
Massas: evite molhos brancos acompanhados de muito queijo ou embutidos (presunto, linguiça)
Batata: prefira assada
Sobremesa: frutas preferencialmente

Search

+