Novembro Azul: câncer de próstata

Câncer de próstata: Novembro Azul

Aberta a temporada de cuidados com a saúde masculina 

Este é o mês de prevenção ao câncer de próstata, um estímulo para os homens procurarem um urologista. 

Acompanhe nossa série de reportagens a respeito

Novembro chegou e, com ele, o momento de olhar com mais atenção para a saúde masculina. O alvo é a prevenção do câncer da próstata, uma glândula que muitos ouvem falar, no entanto poucos sabem de fato onde fica e qual sua função.

A próstata é pequena – do tamanho aproximado de uma noz. Está localizada na parte baixa do abdômen, perto da bexiga e do intestino grosso. Ela faz parte do sistema reprodutor masculino, produz e armazena parte do sêmen.

 

Tumores na próstata

Os tumores de próstata são bem comuns. É um dos que mais atingem homens acima de 50 anos. Em sua maioria, não costumam ser agressivos, segundo o oncologista Bruno Santucci. “O tumor de próstata está intimamente associado ao histórico familiar”, explica. Portanto, os fatores ambientais e comportamentais pouco influenciam no surgimento da doença.

O rastreamento desse tipo de câncer é feito segundo orientação do urologista, o especialista que cuida do aparelho reprodutor masculino. Dessa forma, ao chegar à faixa dos 50 anos, todo homem deve fazer uma consulta com o urologista. Para Santucci, essa é a principal mensagem da campanha Novembro Azul.

Por outro lado, caso exista histórico familiar de câncer de próstata, é aconselhável fazer a primeira consulta aos 40 anos. “Insisto nisso porque sei que os homens, com exceções, não costumam ir ao médico para exames preventivos. Ao contrário, as mulheres vão ao ginecologista com frequência.

Novembro Azul: câncer de próstata

Cuidado personalizado

Ir ao urologista, adianta Santucci, não é certeza de sair do consultório com uma guia para fazer exames de rastreamento do câncer de próstata. Com base em estudos recentes, chegou-se ao consenso internacional que deve se submeter à investigação homens que apresentam sintomas ou que tenham casos na família desse tumor.

“Cada vez mais falamos em cuidado personalizado em relação à prevenção de doenças. Certamente, o médico irá avaliar se o homem com mais de 50 anos deve fazer os exames. Porém, insisto que todos os que estão nessa faixa etária procurem um urologista”, ressalta.

rastreamento consiste, basicamente, no exame de sangue para ver a taxa de PSA (antígeno prostático específico), e no exame de toque retal. Este último permite verificar se a próstata está aumentada.

Em alguns casos, todavia, o especialista pode pedir uma biópsia da próstata, para avaliar melhor o órgão. São situações pontuais.

“Vale lembrar que o aumento da próstata não indica necessariamente um tumor. O mesmo vale para as alterações no PSA, que não evidenciam a presença de tumor maligno”, enfatiza Santucci.

Por isso, é imprescindível o cuidado tanto na prescrição do exame como na indicação de tratamento.

           Sintomas

– Dificuldade ou dor para urinar

– Incontinência urinária

– Desconforto na região pélvica

 

Leia também: perguntas frequentes sobre o câncer de próstata.

 

Tipos de câncer

Outro ponto importante: existem alguns tipos de tumor na próstata que, mesmo malignos, não são agressivos. Aliás, é a maior parte deles. Esses tumores praticamente não crescem, e quando crescem, evoluem vagarosamente. De acordo com o oncologista, trata-se de um câncer que demanda acompanhamento.

A ida ao urologista deve ser anual, mas o pedido de exame irá variar de paciente para paciente, como já dito. “A consulta é importante porque pode apontar outros problemas relacionados à saúde do homem”, afirma Santucci.

Diante de alguns sintomas específicos — dificuldade ou dor para urinar, incontinência urinária e desconforto na região pélvica, é aconselhável procurar orientação médica. Isso é necessário, independentemente da idade ou dos antecedentes familiares.

                 Câncer de próstata

–> É o segundo tipo de tumor que mais atinge os homens, atrás apenas dos tumores de pele

–> 68 mil brasileiros são diagnosticados com câncer de próstata por ano, segundo o Inca e Ministério da Saúde

 

Tratamentos

Caso o tumor maligno se confirme, a abordagem terapêutica irá variar conforme o tamanho e o tipo do tumor e o perfil do paciente. A Oncologia Leforte dispõe de técnicas avançadas para monitorar e tratar o câncer de próstata. Esse tema poderá ser visto aqui nas próximas semanas, dando continuidade à série de reportagens sobre o Novembro Azul.

 

Leia mais sobre o Novembro Azul aqui.

 

CONHEÇA NOSSO CENTRO DE UROLOGIA. Agende uma consulta.

 

 

Search

+