Bronquiolite: Conheça os cuidados necessários

BRONQUIOLITE – Conheça os cuidados necessários

A bronquiolite é uma inflamação dos bronquíolos que atinge crianças menores de 2 anos de idade, principalmente dos 4 aos 6 meses de vida. É de etiologia viral.

 

Sintomas da bronquiolite

Imprescindível que o diagnóstico seja confirmado por um médico

Até que fortaleça o sistema imunológico, a criança pode ser acometida mais facilmente por doenças alérgicas e respiratórias. Por exemplo, em cidades como São Paulo, em que os níveis de poluição maltratam até mesmo as vias respiratórias de adultos, os cuidados com as crianças devem ser redobrados. Por isso, ao perceber que o bebê apresenta qualquer sintoma descrito abaixo, procure agendar uma consulta com o pediatra. Se a criança apresentar um quadro com dois ou mais sintomas, busque atendimento em um pronto-socorro.

Se a crianças estiver:

  • Com o peito chiando (quando ela coloca o ar para fora, produz um som agudo parecido com um apito ou assobio)
  • Com respiração rápida (frequência de mais de 40 respirações por minuto)
  • “Empurrando” o ar para fora (parece forçar a expiração)
  • Com tosse, expectorando muco espesso
  • Com febre que não passa e coriza nasal (podem preceder os problemas respiratórios e a tosse)
  • Com sintomas similares aos da asma

A idade média das crianças que apresentam bronquiolite é de 6 meses. Com mais de 2 anos de idade já não é mais considerada bronquiolite.

 

Leia mais: quais as diferenças entre gripe e resfriado?

 

Causa

A sibilância (chiados no peito) é causada por um estreitamento das menores vias aéreas do pulmão (bronquíolos). Como consequência disso, pode surgir uma inflamação (inchação das paredes) causada por um vírus, geralmente o sincicial respiratório (VSR ou RSV, em inglês). Pode ocorrer em epidemias, principalmente no inverno.

O vírus é encontrado nas secreções nasais das pessoas infectadas. Assim, é disseminado a outra pessoa pelo espirro ou tosse a menos de 2 metros de distância ou ainda pelas mãos, após tocarem o nariz ou os olhos.

Não há imunidade permanente ao vírus, desse modo a infecção pode ocorrer várias vezes.

Reforçando que crianças menores com o VSR desenvolvem bronquiolite. Já as maiores de 2 anos apenas apresentam sintomas gripais.

 

Evolução do quadro de bronquiolite

Os chiados no peito e a falta de ar pioram por 2 ou 3 dias e depois começam a melhorar. De forma geral, os chiados duram aproximadamente 7 dias e a tosse, 14 dias.

Ao longo do tempo, cerca de 30% das crianças com bronquiolite vão, no futuro, desenvolver asma. A recorrência dos chiados ocorre principalmente nas crianças que têm parentes próximos com asma. Esta, por sua vez, pode ser facilmente tratada com medicações adequadas.

 

Tratamento

Algumas crianças com bronquiolite respondem à medicação para asma, porém outras não. O médico irá prescrever o que deve ser administrado e por quanto tempo. Geralmente, o tratamento se dá a base de analgésicos e antitérmicos.

 

  • Espasmos de tosse

A princípio, esses espasmos são causados por secreções viscosas (espessas) na parte de trás da garganta. Os líquidos mornos costumam relaxar a via respiratória e a soltar as secreções. Alguns profissionais orientam ainda a ingestão de suco de maçã oi limão – se a criança for maior de 6 meses.

Além disso, o ar umidificado ajuda a soltar as secreções. Aparelhos próprios para umidificar o ar podem ser apropriados. Há também a possibilidade de colocar um pano leve e umedecido com água morna bem próximo do nariz e boca da criança, a fim de tornar o ar que a criança irá respirar mais úmido.

Já vaporizadores não são aconselháveis para crianças – podem provocar queimaduras.

 

  • Sucção de um nariz entupido

Se o nariz estiver entupido, a criança terá mais dificuldade para mamar. Na maioria dos casos isso ocorre por causa de muco ressecado ou viscoso. A sucção por si própria não remove secreções secas.

Algumas gotas nasais de soro fisiológico são melhores que quaisquer medicações para ajudar na remoção do muco. Pingue e depois de um minuto, use um sugador de borracha macia para puxar o muco. É possível repetir esse procedimento algumas vezes, sempre com muito cuidado e delicadeza, até que a criança esteja respirando pelo nariz mais facilmente.

 

  • Hidratação e alimentação

A ingestão de líquidos é essencial, por isso, dê água e sucos naturais ao seu filho com frequência.

Para muitas crianças, o ato de comer pode ser cansativo. Então, ofereça a alimentação (leite materno, papinha etc.) em quantidades menores, mas em intervalos menores. Se a criança vomitar porque está com muita tosse, alimente-a novamente, em pequenas porções.

 

Pediatria do Grupo Leforte: equipes altamente capacitadas para atendimento de todas as patologias, em todos os níveis de gravidade.

 

Leve ao pediatra imediatamente se:

  • No terceiro dia de febre
  • A tosse durar mais de 2 semanas
  • A respiração se tornar difícil
  • A respiração ficar maior que 60 por minuto (quando a criança não estiver chorando)
  • O chiado no peito se agravar

 

VACINA RELACIONADA: Antimeningocócica C Conjugada (*)

Acesse aqui e consulte nossos Centros de Vacina.

Search

+