A história de como enfrentei o câncer

Por Michele Caroline de Pauli Campos


Há exatamente um ano eu estava passando pelo pior pesadelo da minha vida.

Deitada na cama, senti um nódulo na mama. Na hora pensei que poderia ser algo, então me apressei para realizar alguns exames, que confirmaram o diagnóstico de câncer de mama.

No primeiro momento, a dificuldade maior foi entender o porquê aquilo estava acontecendo. Como, com apenas 27 anos, eu estava doente, e como enfrentar um tratamento tão agressivo que debilita, cansa e estressa.

Durante as quimioterapias estiveram ao meu lado minha família, amigos de infância e amigas de trabalho. Em cada sessão elas estavam lá, me alegrando, minimizando o tempo das aplicações, segurando minha mão e minhas lágrimas. O apoio é fundamental em um momento como esse. Sozinha seria impossível enfrentar, e nessa ocasião percebi como tenho amigos. Nenhum fugiu, e todos levantaram a bandeira da cura comigo.

 

Michele Caroline de Pauli Campos no ensaio “Viver está na moda” do Hospital Leforte em parceria com as Lojas Marisa.

 

Um dos momentos mais difíceis foi perder os cabelos. Eu estava com o pé no altar quando iniciei a quimioterapia, não tinha tempo para adiar. Então, casei assim mesmo, sem cabelos, sem cílios, sem sobrancelhas, mas com muita força, acreditando na cura e sentindo muito amor pelo homem que estava segurando a maior barra ao meu lado.

Com o passar do tempo, as coisas foram fluindo. A força vem, a vontade de viver é maior do que qualquer medo, os porquês vão sendo respondidos. Não era porque eu tinha apenas 27 anos que não poderia ficar doente. Entendi que tinha que ser eu, e tudo isso trouxe grandes aprendizados. Olhar a vida de forma diferente, amar as pessoas com mais intensidade, apreciar cada momento, dar valor às mínimas coisas que passam despercebidas no dia a dia corrido.

Hoje, desejo apenas saúde, pois com ela podemos ir aonde quisermos, acordar a cada dia e agradecer por mais uma manhã. Quero lembrar a quem está enfrentando o mesmo problema que tudo passa, a fase difícil acaba e a vida volta a brilhar lindamente. Ou ainda melhor.
 


 

 

Leia mais:

O que colocar na lancheira das crianças?

Saúde do coração da mulher

Hipertensão arterial

Search

+