amamentacao

8 mitos e verdades sobre amamentação


Existem muitas histórias sobre a amamentação, e boa parte delas não passa de mito. Esclarecer as dúvidas ajuda é essencial, pois pode ajudar a estimular que o leite materno seja o alimento exclusivo de bebês até os seis meses de vida, segundo recomendação da OMS.
Veja o que a nutricionista do Hospital Leforte Marisa Diniz preparou sobre o tema.

 

1. Existe leite fraco?

amamentacao

Mito: Cada mãe produz o leite adequado para as necessidades de seu bebê. Se a criança mama regularmente e está ganhando peso, não há motivo para preocupação. O leite materno é menos encorpado e mais claro que o leite de vaca. Mas isso não impede que seja rico em nutrientes. Essa é a maior dúvida entre as mães, que acabam interrompendo o aleitamento materno exclusivo.

 

2. Estresse interfere na produção de leite?

Verdade. Mães que estão passando por situações de stress ou muita tensão podem, muitas vezes, produzir uma quantidade anormal de adrenalina, que bloqueia a oxitocina, um dos hormônios que influenciam na amamentação. Por este motivo, essas mulheres tendem a produzir leite em quantidade insuficiente.

 

3. Amamentar acelera a perda de peso da mãe?

Verdade. Mantendo uma dieta rica e balanceada, a mãe que amamenta de maneira exclusiva nos primeiros meses volta mais rapidamente ao seu peso normal. O corpo gasta cerca de 700 calorias todos os dias, somente para produzir leite para o bebê.

 

4. O bebê necessita mamar a cada três horas?

Mito. Não há uma regra rígida em relação ao horário e a periodicidade. Essas questões variam conforme a demanda do bebê. A mãe deve oferecer o leite em “livre demanda”, ou seja, toda vez em que o bebê sentir fome, o que pode variar de duas a três horas. Uma atenção especial deve ser dada a bebês que dormem muito. Acima de quatro horas, deve ser acordado para mamar, evitando casos de desidratação e hipoglicemia.

 

5. Alimentos consumidos pela mãe influenciam no sabor do leite?

Verdade. Pesquisas indicam que, desde a amamentação, o bebê já pode sentir os sabores e aromas dos alimentos consumidos pela mãe por meio do leite. Isso o deixa mais disponível para aceitar os mesmos alimentos durante a introdução da alimentação complementar.

 

6. Canjica e cerveja preta aumentam a produção de leite.

Mito. Não existe nenhuma relação entre a ingestão de alimentos e o aumento ou diminuição da produção de leite. O que aumenta a quantidade de leite é a sucção regular da criança. Portanto, quanto maior a oferta de mamadas, maior será a produção de leite.

 

7. É preciso revezar as duas mamas para amamentar.

Mito. O ideal é que o bebê esvazie uma mama e na próxima mamada seja oferecida a outra. Isso é importante porque o leite posterior só é alcançado depois de alguns minutos de mamada. Essa é uma porção rica em açúcar e gordura que ajuda o bebê a se saciar e ganhar peso mais rápido. Caso não ingira esta parte do leite, ele terá fome mais rapidamente.

 

8. Amamentação deve ser exclusiva até os seis meses.

Verdade. O recomendado é que a criança seja amamentada de maneira exclusiva até os seis meses. A partir daí, deve-se intercalar a oferta de alimentos pastosos, sólidos e outros líquidos. O aleitamento deve continuar até os dois anos.

 


 

Leia mais:

Dr. Tércio Genzini fala sobre a incidência e os fatores de risco do Câncer de Pâncreas

Saúde do coração da mulher

A importância do coração no tratamento do câncer

Search

+